Bahia registra um acidente de trabalho a cada 44 minutos - Bahia | Valter Vieira - Informação de qualidade
22 de junho de 2018
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 99120-3503

Notícias

BAHIA - 06/03/2018

Bahia registra um acidente de trabalho a cada 44 minutos

Bahia registra um acidente de trabalho a cada 44 minutos

No Brasil foram registrados cerca de 3,993 milhões de acidentes de trabalho de 2012 até ontem, o que equivale a um acidente a cada 48 segundos. Só na Bahia 74.236 ocorrências foram registradas no mesmo intervalo de tempo, o que corresponde a um acidente estimado a cada 43m 44s.

 

Os dados são fruto de um levantamento feito pelo Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, desenvolvido pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), e divulgado ontem.

 

Ainda na Bahia, do número total de pessoas afastadas do trabalho pelo INSS, 52% (31.082 trabalhadores, em números absolutos) são vítimas de acidentes enquanto outras 47,75% (28.361) foram afastadas por doença. A quantidade de homens afastados (42.497 ou 69,84%) é mais que o dobro de mulheres (18.356 ou 30,16%).


Segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT), acidentes de trabalho custaram cerca de R$ 26 bilhões à Previdência entre 2012 e 2017. Os recursos foram gastos com auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, pensão por morte e auxílio acidente. A quantia equivale a 9,7% do déficit apontado na Previdência. Só este ano, as despesas já somam quase R$ 800 milhões do orçamento público.

 

Além disso, com base em cálculos da OIT, o procurador do trabalho e co-coordenador do laboratório de gestão (SmartLab de Trabalho Decente), Luís Fabiano de Assis, afirma que o país perde, anualmente, 4% do seu Produto Interno Bruto (PIB) com gastos decorrentes de “práticas pobres em segurança do trabalho”.

 

Segundo Assis, no ano passado, estas perdas gerais à economia com acidentes de trabalho foram equivalentes a cerca de R$ 264 bilhões. Para os procuradores do trabalho, os números “alarmantes” são apenas a “ponta do iceberg”, não representando a real dimensão do problema. Assis ainda acrescenta que as notificações não vem caindo. “Quando analisamos o número de [trabalhadores] expostos [ao risco de acidente], o número de contratos de trabalho existentes, o número de acidentes não caiu em comparação a 2016. Ele se manteve estável”. A pesquisa ainda se baseou nos dados para contabilizar a quantidade de dias de trabalho perdidos com afastamentos previdenciários.

 

Até o fechamento desta matéria, o Brasil contabilizava um total de 314 milhões de dias perdidos. O número equivale a 860 mil anos perdidos. Os dados estão disponíveis para consulta no link. Lá, os contadores e números não param de girar, já que os dados são atualizados a todo instante.

 

Setorialmente, as notificações de acidente de trabalho foram mais frequentes no ramo hospitalar e de atenção à saúde, público e privado, onde foram registradas 10% das comunicações por acidentes de trabalho (CATs).

FONTE: Correio 24h

Enquete

Você concorda com a reforma da previdência?

*Enquete encerrada.
  • 3%
  • 24%
  • 74%